EM ANGOLA : SEXO NO ANUS EM TROCA DE COMIDA & CHINESES NÃO PERDOAM

estuprodecriançasLuanda - Hoje,dia 11 de julho do ano em curso,deparei - me com uma situaçao nas imediaçoes do benfica que tocou profundamente o meu intelecto.Tudo começou quando eu fui ate a um estaleiro de chineses comercializar blocos. 

Posto la informei- me dos preços dos blocos , e como estava apertado de xixi fui ate um canto do estaleiro pronto a faser xixi ouvi gemidos ,aproximei - me do local do gemido vi um jovem angolano a ser violado no ANUS por um CHINES ,tao logo o chines escutou baralho largou o jovem que estava todo ensanguentado.

Tao logo vi aquela cena atirei- me CONTRA O CHINES dando lhe golpes eu mais dois jovens que foram tambem comercializar blocos,o CHINES escapou das nossas maos e foi escondido dentro do gabinete pelos seus conterraneos.

Fui ter com o jovem que nada respondia,aparentava estar doente e cansado.apercebi que o mesmo é oriundo da provincia de Benguela,fui perguntar a outros jovens que trabalham com chinese que disseram ser abitual cenas do genero aqui neste estaleiro dado baixo salario e a falta de comida relatou o jovem.

Um outro jovem disse que a falta de emprego e que faz com que muitos na sua maioria jovens do sul do pais sao escravizados e mutilados sexualmente no ANUS nos estaleiros DE chineses.

tentei contactar o responsavel daquele estaleiro para procurar apurar as denuncias feita pelos jovens e nao fui bem sucedido.

Vou a caminho de uma esquadra mais proxima para apresentar queixa.

Ponto-final

ESCUTE A RÁDIO !

Publicidade : +32 493 84 66 30 +32 484 50 60 29

Angodiaspora sur faceboook

Estatistícas do Portal

2248890
Hoje
Ontém
Esta Semana
Semana Anterior
Este Mês
Mês Passado
Ao Total
381
407
1368
2241728
12117
34415
2248890

QUEM SOMOS NÓS ?

QUEM SOMOS NÓS?

Nós somos um grupo de jornalistas, ciêntistas, políticos, sociedade cívil e a Voz de sem Vozes, que pretendem transmitir através o mundo, o grito de um Povo sequestrado e oprimido de Angola e do mundo em particular.
Achamos que a informação deve ter fontes multíplas e essencialmente independentes dos poderes políticos e das forças económicas. Fazem parte desta independência, os jornais, a rádio, as televisões, os portais (web), os diferentes espaços sociais, assim como as instituições de sondagem e as instituições estatistícas.

Leia mais