UNITA FORMALIZA PEDIDO DE CPI ÀS ACTIVIDADES DO FUNDO SOBERANO DE ANGOLA

FILHO DO PRESIDENTELuanda - UNITA FORMALIZA PEDIDO DE CPI ÀS ACTIVIDADES DO FUNDO SOBERANO DE ANGOLA

A UNITA entregou formalmente nesta quarta-feira, 6, ao gabinete do presidente do Parlamento a proposta de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) às actividades do Fundo Soberano de Angola.
Fonte:#VOA

Em declarações à VOA, o chefe da bancada parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, disse que a intenção de pedir uma CPI para investigar as denúncias sobre o desvio de verbas do Fundo Soberano já tinha sido manifestada pela direcção do seu partido.
Costa Júnior considera que a proposta constitui um teste “a todo o sistema”, depois dos anteriores pedidos terem sido sucessivamente rejeitados e considerados “inconstitucionais”

A proposta surge na sequência de denúncias feitas a partir de investigações do Consórcio Internacional de Jornalistas indicando que o Fundo Soberano de Angola, gerido por José Filomeno dos Santos, filho do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, teria permitido empréstimos ilegais com recurso a paraísos fiscais.

As denúncias do “Paradise Papers” apontaram o presidente do Fundo Soberano de ter alegadamente investido mais de três mil milhões de dólares, dos cerca de cinco mil milhões de dólares que constituíram o capital inicial da instituição num paraíso fiscal das Ilhas Maurícias, através da empresa Quantum Global, do empresário Jean-Claude Bastos de Morais.

José Filomeno dos Santos negou tais acusações assegurando não ter havido quaisquer irregularidades na gestão do Fundo Soberano de Angola.

ESCUTE A RÁDIO !

Publicidade : +32 493 84 66 30 +32 484 50 60 29

Angodiaspora sur faceboook

Estatistícas do Portal

2248854
Hoje
Ontém
Esta Semana
Semana Anterior
Este Mês
Mês Passado
Ao Total
345
407
1332
2241728
12081
34415
2248854

QUEM SOMOS NÓS ?

QUEM SOMOS NÓS?

Nós somos um grupo de jornalistas, ciêntistas, políticos, sociedade cívil e a Voz de sem Vozes, que pretendem transmitir através o mundo, o grito de um Povo sequestrado e oprimido de Angola e do mundo em particular.
Achamos que a informação deve ter fontes multíplas e essencialmente independentes dos poderes políticos e das forças económicas. Fazem parte desta independência, os jornais, a rádio, as televisões, os portais (web), os diferentes espaços sociais, assim como as instituições de sondagem e as instituições estatistícas.

Leia mais